Valdemiro responde Lula: Levaram jornal na cadeia?

Após a repercussão do pronunciamento do ex-presidente Lula, onde o mesmo cita que o papel da igreja não é vender feijão, fazendo referência as sementes que o Apóstolo Valdemiro Santiago de Oliveira, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus (IMPD) vendia por valores entre R$ 100 a R$ 1 mil, sob o argumento de que traria a cura da Covid-19, mesmo em casos graves.

Valdemiro rebate indiretas de Lula


Em resposta a Lula, Valdemiro diz que ele não tem “moral” para acusar as igrejas, e questionou como ele sabia dessas informações, se foi levado um jornal para ele na cadeia, em seguida apontou que as próprias acusações do ex-presidente contra ele, sobre as tais sementes “mágicas” que ele teria vendido:

"Prova, o senhor e quem mais que me acuse, prove isso. Apresenta alguém com recibo ou nota fiscal de alguma semente que eu tenha vendido, ou promessa, por que ninguém vai colocar palavras na minha boca" afirma Valdemiro. 

O Apóstolo ainda disse que “é só no Brasil que uma pessoa acaba de sair da cadeia, condenada por crime com provas e se torna apto a concorrer ao cargo mais importante do país”, e completou afirmando que, apesar da permissão para se candidatar concedida pelo STF, Lula não será eleito. Assista na íntegra:


Ao ser investigada pelo Ministério Público Federal, a Igreja Mundial do Poder de Deus disse em nota que a referência ao feijão nos vídeos não se referia a "uma promessa de cura, mas sim o início de um propósito com Deus".

Segundo a instituição, "a semente é uma figura de linguagem, amplamente mencionada nos textos bíblicos, para materializar o propósito com Deus" e que não há nenhum oferta de venda de cura por parte do pastor Valdemiro Santiago.

Postar um comentário (0)
notícia anterior próxima publicação