46% dos Evangélicos acreditam que Bolsonaro é incapaz de governar

A reprovação ao governo Jair Bolsonaro saltou de 40% para 44% entre janeiro e março de 2021

A parcela que aprova o governo Bolsonaro, hoje, é de 30%


O levantamento realizado pelo DataFolha entre 15 e 16 de março, entrevistou 2023 brasileiros adultos que possuem telefone celular em todas as regiões e estados do país. Com margem de erro de dois pontos percentuais.

Desde o início do seu mandato, Bolsonaro tem um dos índices mais baixos, com saldo negativo de 14 pontos no índice de aprovação. O presidente tem aprovação acima da média na região Sul (39%), entre empresários (55%) e entre evangélicos (37%)

O Presidente é visto como mais incapaz de governar o país entre os brasileiros com ensino superior (62%), mas a opinião também é majoritária entre as pessoas com ensino médio (54%) e com ensino fundamental (54%). Nas faixas de idade, o presidente é considerado mais incapaz por pessoas de 16 a 24 anos (58%), de 35 a 44 anos (58%) e de 60 anos ou mais (58%). Ele é menos visto como incapaz entre quem tem de 25 a 34 anos (53%) e de 45 a 59 anos (53%).

Para 74% dos espíritas ou kardecistas, o presidente é incapaz de liderar o País. A taxa cai para 58% entre os católicos e para 46% entre os evangélicos. Bolsonaro é visto como incapaz pela maioria de pretos (64%), pardos (55%), amarelos (55%) e brancos (54%). Entre as mulheres, a taxa é de 61% e, entre os homens, de 50%.

A tese de impeachment tem maior apoio entre mulheres (58%), quem ganha entre 5 e 10 salários mínimos (57%), de 2 a 5 salários (56%) e nordestinos (56%). A maior rejeição à ideia vem do bastião bolsonarista do Sul (59% contra o impeachment) e de evangélicos (59%).

a renúncia é defendida mais igualmente por nordestinos (53%) e mulheres (52%), encontrando apoio maior entre negros (55%) e igualmente entre pessoas mais ricas e instruídas (51% nos dois grupos). Evangélicos (59%) e sulistas (57%) repetem a avaliação contrária ao pedido de renúncia.
Postar um comentário (0)
notícia anterior próxima publicação